Paralisia do Nervo Radial

Paralisia do Nervo Radial

Dormi em cima do braço e agora meu punho e meus dedos não esticam, o que fazer?!

Paralisia do Nervo RadialA primeira coisa sempre é manter a calma. A maioria das compressões nervosas do sono costumam se resolver em até duas horas, podendo a sensação de formigamento e dor persistir por mais algumas horas ou dias. Caso não haja melhora nesse período, procure atendimento de um cirurgião de mão, pois você pode ter tido Paralisia do Nervo Radial.

Porque isso acontece?

Existem diversas causas para bloqueios de condução nervosa, mas a isquemia (falta de sangue) e anóxia (falta de oxigênio) é um fator comum a todas elas.

Geralmente no sono induzido por substâncias podemos adotar posições fixas ao dormir e pelo efeito sedativo das substâncias os reflexos e alterações de posições que ocorrem naturalmente durante a noite não ocorrerão, podendo levar a falta de circulação adequada no membro.

Quais substâncias costumam provocar esse sono pesado?

A mais comum é o álcool, devido à sua disponibilidade e uso socialmente aceito. Outras substâncias são medicamentos calmantes (barbitúricos e benzodiazepínicos), analgésicos potentes (opioides), antidepressivos (principalmente os tricíclicos) e alguns anti-convulsivantes). As drogas ilícitas também têm sua parcela de culpa, mas essas geralmente estão associadas ao uso de álcool. Como o consumo de álcool é mais frequente e em maior volume aos finais de semana por isso se deu o nome paralisia do sábado à noite.

Mas porque a extensão do punho e dos dedos?

Paralisia do Nervo RadialO nervo radial após sair da região axilar e emitir os ramos para o músculo tríceps braquial passa atrás do úmero (região dorsal do braço) e próximo ao cotovelo ele vai fazendo um trajeto para a região ântero-lateral do braço, que é o local onde se apóia a cabeça seja no decúbito ventral (deitado de bruços) ou seja quando uma outra pessoa deita e dorme sobre o seu braço. O nervo radial nesse nível emite ramos motores para a musculatura extensora do punho e dos dedos inclusive o polegar, bem como um ramo sensitivo que dá sensibilidade para a região do polegar e dorso da mão.

Diagnóstico da Paralisia do Nervo Radial

O diagnóstico da Paralisia do Nervo Radial geralmente é clínico e através de uma consulta com o cirurgião de mão pode-se fazer uma avaliação específica e se identificar o problema através do exame físico. Geralmente em casos que a função e mobilidade da mão não retornam antes de 4 semanas uma eletroneuromiografia (exame em que se testa a capacidade de condução dos nervos através da inserção de agulhas e estímulos elétricos) é realizada para se verificar a extensão e a funcionalidade do nervo. Raramente são solicitados exames de imagem para esses casos.

Tratamento da Paralisia do Nervo Radial

O tratamento da Paralisia do Nervo Radial consiste basicamente em uso de medicações para controle da dor (que não é regra – cerca de 30% somente das pessoas apresentam dor). O reforço das vitaminas do complexo B e ácidos graxos de alto valor biológico ômega 3 e 6 também é prescrito por alguns médicos pois teoricamente aumentariam a disponibilidade destas substâncias para a regeneração neural ocorrer mais rápido. Outros prescrevem medicamentos que auxiliam a condução nervosa como Gabapentina / Pregabalina, que também não é regra. O uso de uma órtese para posicionamento da mão à noite é importante pois a musculatura flexora mantem a sua força e pode dificultar a reabilitação após com contraturas da mão e dos dedos. Alguns serviços confeccionam órteses dinâmicas – que são feitas com elásticos e mantem o punho e os dedos esticados, mas permitem o movimento de preensão da mão e dedos permitindo uma maior funcionalidade ao membro.

Qual é o prognóstico

A maioria dos casos (acima de 90%) tem uma recuperação completa do quadro em um período de 2 a 3 meses.

Paralisia do Nervo Radial

Órtese dinâmica de punho em que os dedos são mantidos esticados através de bandas elásticas. Extraído de Green Hand Surgery 7ª Edição – Capítulo 31 – Seção 5 Pág. 1065



WhatsApp chat